Prisão em 2ª instância: caso de Lula pode virar regra

Da redação – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, vem sinalizando em suas últimas declarações, pautar o julgamento sobre a possibilidade de prisão em 2ª instância, caso do preso político da Lava Jato e ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

No entanto, para deixar a “poeira baixar”, o golpista pretende prolongar para um ano o debate, já que a questão agora está muito latente por conta da prisão ilegal de Lula na 2ª instância. E como a situação política é explosiva, há a necessidade de organizar bem esse ataque a direitos fundamentais, assim, o ministro já vem organizando a equipe de golpistas que o acompanhará no comando da Corte, tendo sido marcada para 13 de setembro.

O mais preocupante nesse avanço de um regime de exceção, são as declarações para uma maior aproximação com as Forças Armadas, pois a imprensa burguesa declarou um encontro recente de Toffoli com o comandante fascista do Exército, Villas Bôas, para pedir uma indicação de um nome para a assessoria pessoal do ministro. O comandante golpista, atendeu ao pedido e apontou um nome de sua confiança para trabalhar ao lado do novo presidente da Corte.